A pauta na capa: a mídia corporativa como porta-voz do controle e ordem social na cidade do Rio de Janeiro │ The agenda on first page: corporate media as the spokesman for control and social order in the city of Rio de Janeiro
[Liinc em Revista; v. 10, n. 1 (2014): Redes, ruas, mídias: revolta e reação]
Crise da Representação e Rede |
A pauta na capa: a mídia corporativa como porta-voz do controle e ordem social na cidade do Rio de Janeiro │ The agenda on first page: corporate media as the spokesman for control and social order in the city of Rio de Janeiro

Resumo: RESUMO Busca-se avaliar o enquadramento jornalístico feito pelos jornais da mídia corporativa que legitimam e medeiam a pauta pública e a estratégia da política de segurança pública do Rio de Janeiro, recorrendo à cobertura de notícias sobre os protestos realizados nas ruas da cidade durante o “Junho Furioso”. A partir do uso de semânticas estereotipadas para noticiar o fato jornalístico pela imprensa, será avaliada a criação de um imaginário social coletivo como espaço público de disputa de hegemonia conforme a concepção gramsciana, criminalizando midiaticamente as áreas pobres da cidade do Rio de Janeiro para obtenção de um controle da ordem pública.Palavras-chave: Mídia corporativa; Hegemonia gramisciana; Política de Segurança Pública; “Junho Furioso”; Controle e ordem social.   ABSTRACT This article evaluates the journalistic framing by corportative media, which legitimize and mediate the public agenda and Rio de Janeiro´s public security policy strategy, using the news coverage of the protests in the city streets ​​during the "Furious June". Drawing on the stereotypical use of semantics for journalistic fact reporting by the press, the creation of a collective social imagination will be evaluated as a public space of dispute for hegemony as in Gramsci´s conception, mediatically criminalizing the poor areas of the city of Rio de Janeiro with the aim of controling public order.Keywords: Corportativa media; Gramsci´s Hegemony; Public Security Policy; " Furious June "; Control and social order.

Palavras-chave: Mídia Corporativa. Hegemonia Gramisciana. Política de Segurança Pública. “Junho Furioso”. Controle e Ordem Social.



Como citar
CASTILHO, M.; LIMA, T. S. A pauta na capa: a mídia corporativa como porta-voz do controle e ordem social na cidade do rio de janeiro │ the agenda on first page: corporate media as the spokesman for control and social order in the city of rio de janeiro. Liinc em revista, v. 10, n. 1, 2014. DOI: 10.18617/liinc.v10i1.678 Acesso em: 03 out. 2022.

Compartilhe
Plum X Metrics
NLP
proprietyvalue
DescriptorA pauta na capa: a mídia corporativa como porta-voz do controle e ordem social na cidade do Rio de Janeiro │ The agenda on first page: corporate media as the spokesman for control and social order in the city of Rio de Janeiro
CASTILHO, Marcio; LIMA, Tatiana da Silva
Liinc em revista, n. 1, v. 10, 2014. (Crise da Representação e Rede |) (pt-BR) 3
Identificadorhttp://revista.ibict.br/liinc/article/view/3528 (pt-BR) 3
IdentificadorDOI: 10.18617/liinc.v10i1.678 (pt-BR) 3
TitleA pauta na capa: a mídia corporativa como porta-voz do controle e ordem social na cidade do Rio de Janeiro │ The agenda on first page: corporate media as the spokesman for control and social order in the city of Rio de Janeiro (pt-BR) 3
AuthorCASTILHO, Marcio (pt-BR) 1
AuthorLIMA, Tatiana da Silva (pt-BR) 1
Access Linkhttp://revista.ibict.br/liinc/article/view/3528/3035 (pt-BR) 3
IssueLiinc em revista, n. 1, v. 10, 2014. (pt-BR) 2
Nome da PulicaçãoLiinc em revista (pt-BR) 1
SessãoCrise da Representação e Rede | (pt-BR) 1
Disponibilizado2014-05-27 (pt-BR) 1
hasAbstractRESUMO Busca-se avaliar o enquadramento jornalístico feito pelos jornais da mídia corporativa que legitimam e medeiam a pauta pública e a estratégia da política de segurança pública do Rio de Janeiro, recorrendo à cobertura de notícias sobre os protestos realizados nas ruas da cidade durante o “Junho Furioso”. A partir do uso de semânticas estereotipadas para noticiar o fato jornalístico pela imprensa, será avaliada a criação de um imaginário social coletivo como espaço público de disputa de hegemonia conforme a concepção gramsciana, criminalizando midiaticamente as áreas pobres da cidade do Rio de Janeiro para obtenção de um controle da ordem pública.Palavras-chave: Mídia corporativa; Hegemonia gramisciana; Política de Segurança Pública; “Junho Furioso”; Controle e ordem social.   ABSTRACT This article evaluates the journalistic framing by corportative media, which legitimize and mediate the public agenda and Rio de Janeiro´s public security policy strategy, using the news coverage of the protests in the city streets ​​during the "Furious June". Drawing on the stereotypical use of semantics for journalistic fact reporting by the press, the creation of a collective social imagination will be evaluated as a public space of dispute for hegemony as in Gramsci´s conception, mediatically criminalizing the poor areas of the city of Rio de Janeiro with the aim of controling public order.Keywords: Corportativa media; Gramsci´s Hegemony; Public Security Policy; " Furious June "; Control and social order. (pt-BR) 3
hasFileStorage_repository/708/2018/09/oai_ojs_revista_ibict_br_article_3528#00051.pdf () 1
hasIdA pauta na capa: a mídia corporativa como porta-voz do controle e ordem social na cidade do Rio de Janeiro │ The agenda on first page: corporate media as the spokesman for control and social order in the city of Rio de Janeiro
CASTILHO, Marcio; LIMA, Tatiana da Silva
Liinc em revista, n. 1, v. 10, 2014. (Crise da Representação e Rede |) () 3
SourceLiinc em Revista; v. 10, n. 1 (2014): Redes, ruas, mídias: revolta e reação (pt-BR) 3
Source1808-3536 () 3
ThemaMídia Corporativa (pt-BR) 1
ThemaHegemonia Gramisciana (pt-BR) 1
ThemaPolítica de Segurança Pública (pt-BR) 1
Thema“Junho Furioso” (pt-BR) 1
ThemaControle e Ordem Social (pt-BR) 1